A arte de liderar

05 Sonhos transformados em visão compartilhada

Cezar: O líder assenta o desempenho do seu papel em sua visão. Agora o sonho é mais do que ter uma visão de algo como deve ser, o sonho é dinâmico, você vê pessoas compondo este sonho. O sonho tem o poder de despertar potenciais, de trazer a tona os talentos.

Amiga: Então cada departamento da igreja, cada ministério precisa compor seu próprio sonho, já que precisamos muito despertar talentos na igreja.

Cezar: Sim, de fato. Quando há um sonho posto, ele, por si mesmo, faz-nos ver do que precisamos para sua realização. Digamos que você sonhe em ir para Lisboa, em Portugal, na Europa. Você sonha, mas nem sabe exatamente que Lisboa fica do outro lado do oceano. Então você começa a sonhar construindo o caminho para Lisboa e você descobre que tem de atravessar o oceano de navio. Você se vê entrando no navio em direção a Lisboa. Você chega em Lisboa, precisa se deslocar pela cidade. Você começa a perceber que, para viajar de carro, você precisa de um motorista. Você sonha com este motorista lhe acompanhando. Ocorre que você está em Cuiabá, onde encontra alguém pode ser este motorista, todavia ele não se dispõe a viajar. Você começa a mostrar a ele a grandeza de ser um motorista que se desloca de Cuiabá até Lisboa para dirigir na Europa. Mostra a ele tudo quão maravilhosa seria a viagem, deixando-o encantado com as belezas de Lisboa. Ele entra em seu sonho e se dispõe a seguir você. Precisamos sonhar até chegar a este nível. Sair da generalidade e ver as pessoas fazendo parte de nossos sonhos o tempo todo.

Cezar: Note que ter um sonho ou visão não é o mesmo que fazer o planejamento estratégico de algo. O planejamento estratégico é, na verdade, o detalhamento do sonho compartilhado, quando líderes e liderados conseguem visualizar onde querem chegar, consciente de onde estão. É com pessoas motivadas por este sonho que se constrói a realidade. No caso exemplificado é você sentar-se com o motorista já motivado e ambos traçarem o melhor roteiro para chegar deslocar-se em Lisboa.

Amiga: Entendi. Só que geralmente os diretores de departamentos cristãos muitas vezes entendem que já sabem o que é preciso fazer, então eles simplesmente começam a distribuir ordens. Não dão motivos para alguém lhes acompanhar, simplesmente esperam que façam o que lhe pedem.

Cezar: Sim, quando os diretores se comportam como chefes, não como líderes, fica faltando o elemento motivacional para o engajamento da equipe. Neste caso o diretor tem dificuldade de perceber a importância da contribuição daquele que atua juntamente com ele no seu ministério. Não há, neste caso, um sonho compartilhável.

Cezar: O liderado precisa sentir-se parte da visão, que ele tem algo relevante a contribuir, porque se ele não se encaixar na visão, fica difícil ele descobrir em que poderia fazer contribuições relevantes. Esta é a parte complicada do líder desenvolver. Li certa feita em um livro que dizia como transformar sonho em visão. Ele dizia que primeiro Deus nos dá um sonho, então transforma este sonho em uma visão, processo  este que, muitas vezes, pode levar anos. Enquanto este sonho não se converter em uma visão, o líder não consegue compartilhar, logo as pessoas têm dificuldade de se acharem no sonho do líder. É quando o líder fica falando sozinho.

Cezar: Voltemos a José. Qual era o seu sonho?

Amiga: Que seus irmão se dobrassem diante dele.

Cezar: Sim, isso. Quando ele teve este sonho, ele era simplesmente um dos irmãos, não havia nada que justificasse seus irmãos se dobrarem a ele a não ser que ele impusesse isso à força. Era um sonho, mas naquela circunstâncias impossível de se realizar.

Amiga: Naquele momento sim.

Cezar: Os irmãos não queriam estar no sonho dele. Agora, quando ele se tornou senhor do Egito, os irmãos viram-no no exercício de sua vocação e entenderam o sonho: José daria sombra a eles, eles seriam alimentados, protegidos, então eles amorosamente se colocaram debaixo do sonho de José. O sonho se tornara uma visão compartilhável. Esta é a razão da visão anteceder o planejamento estratégico.

Cezar: Quando o líder já tem o sonho transformado em visão, as pessoas acham o seu lugar neste sonho. Cada diretor de ministério precisa ter seu próprio sonho convertido em visão, pois eles, por sua posição, estão na mesma condição de José, alguém espera algo mais de seus líderes. Os líderes precisam fazer seus liderados sonharem os seus sonhos, esta é a parte mais difícil no exercício da liderança. Mas é a capacidade de converter sonho em visão compartilhada que difere o líder do chefe.

 
pensador

              http://cezarazevedo.com.br/plano-de-salvacao-por-pergunta/

              http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-novo-convertido-0110/

              http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-batismo-0110/

              http://cezarazevedo.com.br/ministracao-para-libertacao-interior-e-perdao/

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

Leave a Comment