Generosidade: fundamento e regulador da prosperidade

42 Aplicação do princípio da generosidade

E digo isto: Que o que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia em abundância em abundância também ceifará. (II Co 9.6)
mas para igualdade; neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdade, como está escrito: O que muito colheu não teve de mais; e o que pouco, não teve de menos. (II Co 8.14,15)

Em artigo intitulado “Secrets of Generous Churches: Creating a Culture in which Serious Stewardship Is Normal”, Liz Swanson levanta alguns pontos importantes para a geração de uma comunidade alicerçada nos princípios da generosidade. Primeiro ela ressalta os benefícios inerentes a uma comunidade generosa: a compreensão do senhorio divino sobre as riquezas e o entendimento que somos Seus mordomos na administração destas mesmas riquezas; a mudança da perspectiva de vida dos cristãos; a alegria manifesta decorrente de um ambiente comunitário de satisfação por ajudar o outro em suas necessidades; o incremento da confiança em Deus como provedor de todas nossas necessidades em glória por Cristo Jesus; menos estresse e preocupação no seio do povo de Deus; crescimento dos ministérios, de suas lideranças e da igreja; dependência de Deus na aplicação de seus recursos financeiros e materiais por meio de oração insistente a Deus.

Liz argumenta que para chegarmos a este ambiente cristão fundado na generosidade precisamos trabalhar duros na mudança de perspectiva dos cristãos por meio da pregação, do ensino, da modelagem comportamental e da celebração da generosidade. Ela relata a experiência de uma igreja de Nashville, Tenessis, nos EUA. Um grupo de 150 membros desta igreja se dirigiu à região atingida pelo furacão Katrina para ajudá-los naquela catástrofe. Em certo momento, um membro da igreja de nome Dave perguntou a um residente do que ele mais precisava naquele momento, ao que este respondeu: um sapato. Dave imediatamente tirou seus sapatos e trabalhou o restante do dia somente de meias. Após contar esta história o pastor daquela igreja desafiou seus membros a doar naquele mesmo instante seus sapatos para serem enviados à diversos outros lugares, inclusive da África. Naquele dia todos os membros da igreja tiraram os sapatos de seus pés e ofertaram, sendo coletado 2.500 pares de sapatos. Em outra comunidade, em Waco, Texas, EUA, o pastor, após ministrar em At 2:43-45, chamou todos os irmãos e irmãs que tivesse necessidades concretas naquele dia para serem atendidas. Os membros foram chegando à frente e relatando suas necessidades. Então o pastor conclamou a igreja a orar por aqueles que se apresentaram. Um irmão da congregação ofertou a uma irmã que fora à frente US$ 20,00, ao que esta declarou só necessitar da metade, ofertando a outra metade a outro que também precisava de recursos. Este dia foi chamado pela igreja como “o dia em que o dinheiro movimenta dentro da própria igreja”. São histórias como esta que nos ajuda a entender como podemos praticar a generosidade com nossas orações, nossos talentos, nossos serviços, nosso patrimônio e nossas rendas.

Quanto ao ensino, Liz faz lembrar que exige tempo até que novos hábitos sejam desenvolvidos na comunidade cristã. É preciso instruir os membros da igreja como fortalecer suas convicções acerca da tomada de decisão em finanças, da importância do trabalho, dos critérios para a priorização na aplicação dos recursos, da fidelidade nos dízimos, da generosidade nas ofertas e como desenvolver a confiança na provisão de Deus. É preciso promover cursos e seminários sobre educação financeira na igreja com o objetivo de ajudar as pessoas a aplicarem os ensinos em suas finanças pessoais. Neste artigo o pastor Bryan Clark explica que nosso entendimento e prática da generosidade demonstra o nível espiritual de nossa fé. Ele entende que a mordomia cristã nos termos da palavra de Deus deve ser parte da estratégia global da igreja para o discipulado. O pastor Bryan continua dizendo que este discipulado deve estar solidamente alicerçado que tudo pertence a Deus, portanto temos privilégios e responsabilidade no uso de nossos recursos financeiros diante do Senhor e de Sua igreja. Neste artigo Liz apresenta um quadro que demonstra os estágios da maturidade do cristão:

  Infância Adolescente Adulto
Sistema de valores O cristão ama e pensa na palavra Insatisfação e busca de alguma satisfação Amor a Cristo de todo o seu coração
Fonte de significância Sua posição social e seus títulos Busca e transitoriedade Em Cristo
Orientação de vida Para si Para os outros Para Cristo
Orientação da mordomia Para si Para os outros Tudo pertence a Cristo
Atitudes de generosidade Defensivo e relutante Começa a se alegrar com o ofertar Se alegra em ofertar
Motivação para generosidade Egoísmo ou sentimento de culpa Interesse próprio Adoração
Objeto da fé Para si Transição de para si para Cristo Cristo

Em relação ao modelo comportamental que precisa ser gerado na igreja, Liz faz observar que este novo estilo de vida precisa ser de modelado mediante os exemplos de generosidade extraídos da própria comunidade. Tanto os instruídores quanto os membros da igreja são submetidos continuamente diante de oportunidades por meio dos quais seria possível aplicar os princípios bíblicos da generosidade. Seu discernimento de como se comportar diante das necessidades de seus irmãos contribui positivamente para estimular outros a estes mesmas boas obras. Segundo Liz Swanson, quando os líderes autenticam o ensino com seus próprios exemplos de vida, o terreno se torna fértil para o crescimento e desenvolvimento desta prática entre os cristãos. Por fim Liz declara a importância da celebração da generosidade, porquanto ela permite-nos ver quão bom é Deus e quão profunda a transformação proporcionada por Seu bendito Espírito Santo nos corações dos cristãos. Com estas celebrações poderemos centrar o reino de Deus no centro de nossas prioridades e poderemos celebrar nossa integridade financeira.

Fonte: http://www.revolutioningenerosity.com/files/Secrets%20of%20Generous%20Churches.pdf

http://cezarazevedo.com.br/01-nao-podemos-desconsiderar-nossos-pressentimentos/

http://cezarazevedo.com.br/41-amando-uns-aos-outros-generosamente/

http://cezarazevedo.com.br/43-nem-por-tristeza-nem-por-constrangimento/

pensador

    http://cezarazevedo.com.br/plano-de-salvacao-por-pergunta/

    http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-novo-convertido-0110/

    http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-batismo-0110/

    http://cezarazevedo.com.br/ministracao-para-libertacao-interior-e-perdao/

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

Leave a Comment