Reflexões

Ande de modo consciente com Deus

E disse Jônatas a Davi: O SENHOR, Deus de Israel, seja testemunha. Amanhã ou depois de amanhã, a estas horas sondarei meu pai; se algo houver favorável a Davi, eu to mandarei dizer. Mas, se meu pai quiser fazer-te mal, faça com Jônatas o SENHOR o que a este aprouver, se não to fizer saber eu e não te deixar ir embora, para que sigas em paz. E seja o SENHOR contigo, como tem sido com meu pai. (I Sm 20.12,13)

Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros. Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa. Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo. (Tg 4.13-15)

Precisamos aprender a andar com Deus como fez Enoque, antes do dilúvio vir sobre a terra. Este andar é uma atividade que decorre do nosso culto racional, conforme Paulo nos ensina em sua carta aos Romanos, no capítulo doze, versículo um. Em contraste a este andar com Deus, a maior parte do que fazemos são expressões de atividades inconscientes, não pensamos nelas enquanto executamos. Para citar alguns exemplos, nós tomamos banhos, escovamos os dentes, almoçamos, caminhamos, fazemos nossas tarefas diárias, tudo sem elevarmos nossos pensamentos a Deus. Ligamos o automático e vamos executando as coisas de modo inconscientes. Só temos a tendência de pensar em Deus quando alguma dificuldade surge que esteja acima de nossa capacidade. Neste caso nós clamamos ajuda ao Senhor, ainda assim, este clamor é momentâneo, pois feito esta oração, voltamos aos nossos afazeres, superamos aquele obstáculo e, sequer nos lembramos de sermos gratos a Deus por Sua intervenção. Voltamos a ligar o piloto existencial automático, submergimos nas atividades diárias, não nos lembrando mais de Deus. Nós precisamos mudar este modo de viver aprendendo e transformando nosso dia a dia em uma oportunidade de prestarmos culto racional a Deus, deste modo, andando com Deus.

Veja o caso de Jônatas e Davi. Eles viviam um momento crítico de suas vidas. Davi havia vencido o gigante Golias e, com isso, ganhara o respeito do rei Saul, ao ponto de ser convidado para ser um de seus generais. Ocorreu que as vitórias de Davi nas frentes de batalhas enciumaram Saul ao ponto de desejar matar seu general. Neste interim Jônatas, filho de Saul, não queria crer que seu pai seria tão ingrato ao ponto de desejar a morte de Davi. Este, por sua vez, procurou demonstrar a Jônatas que não era mais bem visto no reino. Foi quando Jônatas fez um acordo com Davi, pois naquele dia faria uma prova com seu pai. Se realmente a intenção de matar Davi fosse real, o próprio Jônatas concordaria com a fuga de Davi.

Observe que Jônatas não tinha como saber o que se passava no coração de seu pai, razão porque o submeteu a uma prova. No diálogo que Jônatas teve com Davi, ele declarou que se de fato fosse verdade, que Saul queria a morte de Davi, o próprio Deus seria com Davi em sua fuga, ajudando-o em tudo. Note como Deus é colocado no meio da questão. Se fossemos analisar esta situação, por certo haveríamos de resolver tudo como situação entre os humanos, não percebendo Deus como um ator ativo no processo. Para nossa percepção, Deus só age em uma única direção, concedendo vitória ou removendo obstáculos, não o vemos agir quando se trata de questões entre homens, situações estas que temos posições diferenciadas, uma em contraposição da outra.

Andar com Deus exige que nós tenhamos consciência que as condicionantes existenciais, sejam quais forem elas, favoráveis ou não a nós, estão circunscritas à soberania divina. Como declarou Tiago, tudo que ensejamos fazer, deve ser colocado na condicionante na qual declaramos: – Se Deus quiser tal e tal coisa se sucederá. Esta percepção da dependência divina deve ser posta em cada atividade que estejamos desenvolvendo durante o dia. Para que isso seja possível, precisamos tornar-nos consciente das coisas que fazemos de modo automático, programado em nível subconsciente. Coloquemos em prática, pois este é o ensino de Paulo quando escreveu: “tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai” (Cl 3.17).

pensador

    http://cezarazevedo.com.br/plano-de-salvacao-por-pergunta/

    http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-novo-convertido-0110/

    http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-batismo-0110/

    http://cezarazevedo.com.br/ministracao-para-libertacao-interior-e-perdao/

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

 

Leave a Comment