Comentários no Evangelho de João

Comentários em João 8.6

Jo 8.6

"Isto diziam eles tentando-o, para terem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia na terra com o dedo." (Jo 8.6). Os escribas e fariseus se aproximaram de Jesus mal intencionados. Eles vieram para tentar Jesus, para achar em como acusá-lo. Vamos ampliar nosso horizonte e examinar mais de perto o que se passa nos céus, diante do trono de Deus, o Pai eterno. Sabemos que o Pai eterno está em seu trono, de onde governa todo o universo. À sua direita está sentado seu Filho Jesus Cristo, permanecendo nesta posição até que o Pai eterno coloque todos seus inimigos debaixo de seus pés. De tempo em tempo Satanás se apresenta diante do trono de Deus para deliberar quem vai tentar na Terra, pois ele não pode fazer o mal sem estar autorizado pelo Soberano, pois foi assim com Jó. Quando está diante do trono de Deus o inimigo de nossas almas exerce o papel acusatório. Ele faz isso dia e noite, trazendo todo tipo de acusações, verdadeiras e falsas. Jesus, a direita de Deus, faz objeção a cada uma destas acusações, exercendo o papel de Advogado. Com base em seus argumentos Jesus intercede incessantemente ao Pai eterno, colocando por terra cada um dos argumentos de Satanás. Portanto nos céus temos, no mínimo, três pessoas: Deus, o Pai eterno no trono; Jesus Cristo à sua direita exercendo o papel de Advogado e Intercessor; e Satanás, que é o grande dragão, a antiga serpente, também conhecido por diabo. Satanás acusa o tempo todo cada um dos habitantes da terra. E na terra, o que temos? Escribas e fariseus vindo até Jesus para o acusar, armando ciladas para Jesus cair em tentação. Portanto os escribas e fariseus, ao acusarem aquela mulher diante de Jesus estavam cumprindo o mesmo papel de Satanás diante do trono de Deus. Logo podemos dizer que todo indivíduo que acusa, que dá falso testemunho, que faz as coisas para prejudicar os outros, traz consigo traços da personalidade de Satanás, visto que este não sabe fazer outra coisa senão acusar os homens diante de Deus.

Esta cena que estamos testemunhando acontece tanto na terra, quanto nos céus. Assim como estes religiosos acusavam a mulher diante de Jesus, concomitante Satanás estava acusando esta mesma mulher diante de Deus. Nós precisamos ter isso muito claro em nossa mente: só existem duas posições diante de Deus: a do acusador e do defensor. Satanás acusa, Jesus é nosso Advogado, nos defendendo. A questão que é colocada a cada um de nós é esta: – De que lado você esta? Por detrás desta questão está a síndrome do Éden: sempre que algo dá errado, nossa primeira reação é procurar um culpado e o acusar. Foi isto que Satanás ensinou o primeiro casal a fazer. Depois da mulher ter dado o fruto para o homem e ele o comer junto com ela, em chegando Deus, primeiro o homem colocou a mulher como culpada pela desobediência. Esta acusou a serpente. Este se tornou o padrão natural, portanto temos de sondar nosso coração com muita seriedade para verificar se não estamos agindo como estes religiosos, só levando diante de Deus acusações. E como seriam elas? — Esta mulher adulterou! – Meu marido é preguiçoso! – Minha esposa não me ajuda! – Meu pai não me entende! – Meu filho não me obedece! – Meu chefe não me ouve! – Meu funcionário não trabalha direito! E assim prosseguimos, procurando sempre no outro o erro que pode estar, na maioria das vezes, escondida diante de nós. Por isso Jesus disse que, antes de tirar a trave dos olhos de nosso irmão, temos de tirar o argueiro de nossos olhos. Coloque isso em sua mente: – Toda vez que acusamos alguém de alguma coisa, não é do lado de Jesus que nós estamos.

Enquanto os religiosos apresentavam suas acusações contra a mulher, Jesus escrevia na areia com o seu dedo. É muito relevante este fato e, para entendermos temos de ter clareza sobre quem Jesus é. A multidão dizia que Jesus era o filho do carpinteiro. Na verdade Jesus foi adotado por José, pois nasceu de Maria concebido no ventre dela pelo Espírito Santo. Deus preparou um corpo para Jesus para que Ele pudesse se encarnar. Antes disto Jesus era Deus, estava com Deus, era o Filho unigênito de Deus. Portanto Jesus é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Isto significa que antes de Jesus nascer como Homem na terra, agiu como Deus na terra. Dentre as muitas coisas que Jesus fez enquanto Deus foi dar a Moisés os dez mandamentos. E como Deus fez isso? Vamos ler como se seu este evento: "E, tendo acabado de falar com ele no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do Testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus." (Ex 31.18). Portanto os dez mandamentos foram escritos por Deus na pedra com o seu próprio dedo. E agora vemos Jesus escrevendo na areia com seus próprios dedos. E Jesus, o Homem que escreve na areia é o mesmo Verbo, o Deus que escreveu na pedra. Em ambas as ocasiões Jesus escreveu com seus dedos. E o que Jesus escreveu na areia? Vamos fazer o contraste para entender. Como Deus Jesus escreveu na terra para impor sua inflexível santidade. Ou o homem obedecia a lei de Deus ou seria morto por sua desobediência, não havia meio termo. E agora, Jesus, enquanto Homem, padecendo tudo quanto um ser humano sofre, Jesus escreveu na areia palavras de graça e misericórdia. Eis o que Jesus escreveu: "Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros." (Jo 13.34). Diante do flagrante adultério Jesus escreveu: – Ame!

Leave a Comment