Editoriais 2008

Editorial: Faça tudo com amor

“Todas as vossas obras sejam feitas em amor.” (I Co 16:14)

Como podemos saber que a obra feita por nós é motivada pelo amor? Quando temos uma tarefa nosso objetivo é cumpri-la, agora se para terminar nos exasperamos, então nos faltou paciência, nos faltou o amor. Ser paciente é refrear sua vontade de irar-se, de irritar-se, de oprimir.

Se alguém que está lhe ajudando não consegue corresponder as suas expectativas e você deixa de ser tolerante, não está agindo com amor, porquanto quem ama é benigno. É quando você faz tudo para ser útil, ser compreensivo, ser amigo, ser tolerante.

Se alguém exerce cargo na igreja, você se coloca prestativo ao lado dele, não se deixa levar pela inveja. Se você faz alguma coisa, realiza algum serviço para o Senhor, não se deixa gloriar, antes transfere toda glória a Deus. Se você é detentor de algum conhecimento, consegue fazer algo bem feito, não se ensoberbece, antes ensina com gosto para que o outro seja como você.

Onde quer que esteja, você dá testemunho de cristã(ão), não se portando com inconveniência. Ou seja, você não faz nada que possa se envergonhar depois. Quando está fazendo algo, sua meta é atender o interesse do outro, não seu, porque tudo que você faz é para gloria de Deus, não para seu benefício próprio.

O mais importante é que você não se irrita, nem suspeita mal. Em outras palavras, você não perde a compostura, antes sai com classe de situações delicadas sem ofender, sem agredir, sem esbravejar. Afinal você não faz prevalecer seu direito, porque quem quiser ganhar sua vida, disse Jesus, perde, e quem perder sua vida por amor a Cristo, já ganhou.

Leave a Comment