Editoriais 2008

Editorial: Quero Deus!

“Como o cervo anseia pelas correntes das águas, assim a minha alma anseia por ti, ó Deus!” (Sl 42:1)

Vivemos no mundo do fast food, comida pronta e rápida. Comemos apressadamente, sempre sintonizado com nossos afazeres diários. Não há mais o deleite do sabor do alimento, muito menos oportunidade para apreciar quem lhe faz companhia. Este estado de coisa reflete, inclusive, na vida espiritual.

Os cultos são cada vez mais rápido e centrado na música. A mensagem precisa ser curta e focada nas necessidades básicas do homem. Deus é visto como um Ser superior que precisa suprir tudo quanto o homem precisa, independente se é da vontade divina ou não. Inclusive as orações são focadas com certo determinismo, como se alguém pudesse pressionar Deus em Sua própria palavra. Sob esta perspectiva não há mais necessidade de humilhar-se diante de Deus, pois querer é poder.

Assim ter o anseio de Deus como um cervo pela água não é mais uma experiência comum entre os cristãos. De certo modo para o cristão moderno querer Deus equivale a ser bem sucedido financeira e espiritualmente. Todavia querer Deus é colocá-lo acima de nossas necessidades básicas. O profeta Habacuque descobriu esta verdade quando orou:

“Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; ainda que falhe o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado, todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação.” (Ha 3:17,18)

Precisamos conhecer Deus ao ponto que estar com Ele realmente seja mais que todas as outras coisas deste mundo. É quando reputamos tudo por perca para ganhar a Cristo (Fl 3:7,8). É quando sabemos que o sofrimento por amor a Cristo nos faz chegar mais perto de nosso Pai celestial (Fl 3:10).

Leave a Comment