Mensagens

O arrebatamento da igreja e a volta visível do Senhor em uma equação matemática

Caro amigo! Dileta amiga! Antes de mais nada, este é um texto longo, mas necessário para o correto entendimento do assunto. Tenha paciência comigo. Alguém me fez a seguinte pergunta: – como você vê o arrebatamento da igreja? Então eu dei a ele uma resposta que compartilho com você. Vou procurar neste texto demonstrar como podemos calcular a data da segunda vinda física do Senhor Jesus Cristo. Estamos aqui salientando a vinda física porque a volta do Senhor se dará em duas etapas, a primeira para a igreja, quando esta será ressurreta e arrebatada nos ares para encontrar-se com o Senhor e, depois disso seu retorno físico em Israel, quando todo o olho o verá. Assim, pretendo demonstrar para você o arrebatamento da igreja mediante uma equação matemática.

Primeiro vamos procurar conhecer os marcos determinantes do retorno de Jesus Cristo na terra. O primeiro marco é o arrebatamento da igreja com a consequente ressurreição dos santos. Este será um evento de dimensão mundial, instantâneo, absurdamente rápido, que fará com que todos os mortos em Cristo serão ressuscitados. Os santos que haverão de ressuscitar são todos aqueles que receberam a Cristo como Senhor e Salvador, contados desde a igreja primitiva até aquele momento da ressurreição, em algum tempo adiante de nós. Ato concomitante, todos os salvos em Cristo Jesus, que nasceram de novo, estando vivos naquele exato momento, haverão de ser arrebatados, isto é, receberão um corpo glorificado e subirão aos ares para encontrar-se com o Senhor Jesus Cristo.

O segundo marco é chamado de grande tribulação, que é o tempo entre o arrebatamento da igreja e a septuagésima semana de Daniel. Este será o tempo em que o evangelho será pregado por toda a terra, com a maior colheita de almas de toda a história, contudo também será o tempo em que os crentes passarão pela maior e mais sangrenta perseguição jamais vista.

O terceiro marco é a septuagésima semana de Daniel. Evento este que terá a duração de sete anos, que terá início com a assinatura do acordo entre o anticristo e o governo de Israel e findará com a batalha de Armagedon. Este tempo é chamado de angústia de Jacó, como também de o dia do Senhor. Será o período mais terrível da história humana que, que sacolejará não só a terra como também os céus e, se o Senhor Jesus não voltasse para interromper os ciclos de destruição que se seguirá, nenhuma carne haveria de salvar-se, tudo haveria de ser consumido. Uma das razões do retorno de Jesus é impedir esta destruição cabal do planeta terra.

O quarto marco é a batalha de Armagedon, que se dará tão logo Jesus seja visivelmente visto em toda a terra. Esta batalha será travada no vale de Megido ou vale de Jezreel em Israel. Este o lugar onde haverá de se encontrar todos os exércitos do mundo para confrontar-se com Jesus Cristo e Seu exército. Jesus pisará no monte das Oliveiras em Jerusalém e, de lá, virá para esta batalha. Para se ter uma ideia da dimensão deste confronto, só os povos orientais haverão de enviar duzentos milhões de soldados.

Colocando estes eventos em uma equação matemática temos algo assim: dia.arrebatamento da igreja + dia.grande tribulação + dia.septuagésima semana de Daniel + dia.batalha de Armagedon = Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo. Assim, se alguém souber o dia do arrebatamento da igreja e, a partir deste dia, colocar todas as datas, saberá com exatidão quando Jesus voltará e vencerá de forma cabal a batalha do Armagedon, prendendo Satanás e lançando no fogo eterno o anticristo e o falso profeta.

Não sei se você percebeu, fiz uma mudança verbal ao comentar que haverá alguém que saberá qual é o dia do arrebatamento da igreja, podendo com isso vir a calcular os demais tempos. Esta mudança verbal foi proposital, pois os que hão de ser arrebatados saberão que dia é este porque estão sendo arrebatados, mas como não mais estarão na terra, não tem porque efetuar a conta da volta física do Senhor Jesus, pois estarão com o Senhor nos ares e, quando o Senhor voltar fisicamente, eles voltarão juntamente com o Senhor.

Da equação dia.arrebatamento da igreja + dia.grande tribulação + dia.septuagésima semana de Daniel + dia.batalha de Armagedon = Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo, todas as datas, menos aa do dia.arrebatento da igreja, são conhecidos e dados pelas escrituras. Ao final demonstrarei como podemos saber qual é a data do arrebatamento da igreja. Vamos então calcular do fim para o começo.

A primeira data que precisamos conhecer é o dia.batalha de Armagedon. Nós encontramos esta data no livro do profeta Daniel. Vamos ler juntos o texto:

“Bem-aventurado o que espera e chega até mil trezentos e trinta e cinco dias” (Dn 12.12).

Para entender o significado desta data, vamos antes conhecer os tempos da septuagésima semana de Daniel. A segunda data que precisamos conhecer é o dia.septuagésima semana de Daniel. Nós encontramos esta data também no livro do profeta Daniel. Vamos ler juntos o texto:

Ele fará firme aliança com muitos, por uma semana; na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; sobre a asa das abominações virá o assolador, até que a destruição, que está determinada, se derrame sobre ele. (Dn 9.27)

Observe que a septuagésima semana de Daniel terá a duração de uma semana e se divide em dois períodos de tempo, a primeira e segunda metade, cada uma delas com 1260 dias. Aqui é preciso lembrar que Israel segue o calendário lunar, com meses de 30 dias. Assim, 1260 dias é equivalente a 42 meses, somados duas vezes, dá 84 meses, que são sete anos.

Como sabemos que a segunda metade desta semana é de 1260 dias e como é dito ser bem aventurado o que alcançar 1335 dias, façamos o seguinte cálculo: 1335 – 1260 = 75 dias. Este é o tempo que haverá de durar a batalha de Armagedon, sendo este o marco cabal da vitória dos exércitos liderados pelo Senhor Jesus Cristo. Vamos ler como se dará esta batalha final:

Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. Os seus olhos são chama de fogo; na sua cabeça, há muitos diademas; tem um nome escrito que ninguém conhece, senão ele mesmo. Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o Verbo de Deus; e seguiam-no os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimo, branco e puro. Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e ele mesmo as regerá com cetro de ferro e, pessoalmente, pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso. Tem no seu manto e na sua coxa um nome inscrito: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES. (Ap 19.11-16)

Aqui temos o Senhor e Seu exército indo par ao local da batalha. Agora vamos ver como se encontram os oponentes naquele dia e como se dará esta batalha:

E vi a besta e os reis da terra, com os seus exércitos, congregados para pelejarem contra aquele que estava montado no cavalo e contra o seu exército. Mas a besta foi aprisionada, e com ela o falso profeta que, com os sinais feitos diante dela, seduziu aqueles que receberam a marca da besta e eram os adoradores da sua imagem. Os dois foram lançados vivos dentro do lago de fogo que arde com enxofre. Os restantes foram mortos com a espada que saía da boca daquele que estava montado no cavalo. E todas as aves se fartaram das suas carnes. Então, vi descer do céu um anjo; tinha na mão a chave do abismo e uma grande corrente. Ele segurou o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, Satanás, e o prendeu por mil anos; (Ap 19.19-20.2)

E esta batalha, segundo o cálculo acima, haverá durar 75 dias e, ao fim dela, a besta e o falso profeta serão feitos prisioneiros e lançados no lago de fogo que arde com enxofre. Satanás, por sua vez será acorrentado, condição esta que haverá de perdurar por 1000 anos.

Agora precisamos saber qual é o tempo entre o arrebatamento da igreja e a assinatura do acordo maligno entre o Anticristo e Israel. Lembrando que é a assinatura deste acordo que marcam a contagem dos sete anos seguintes, também conhecido como o Dia do Senhor ou Angústia de Jacó. Na fórmula matemática eu chamei este evento como dia.grande tribulação. Vamos ler o texto, onde encontramos a resposta:

Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações com cetro de ferro. E o seu filho foi arrebatado para Deus até ao seu trono. A mulher, porém, fugiu para o deserto, onde lhe havia Deus preparado lugar para que nele a sustentem durante mil duzentos e sessenta dias. (Ap 12.5,6)

O filho varão que foi arrebatado é, ao mesmo tempo o Senhor Jesus Cristo em sua ascensão aos céus, ocorrido no primeiro século, logo após o derramamento do Espirito Santo, como também este filho varão é a igreja que haverá de ser arrebatada. E porque temos aqui tanto o Senhor ascendido aos céus, como a igreja? É que tecnicamente Jesus não foi arrebatado, ele foi elevado aos céus lentamente, como está escrito:

E, estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto Jesus subia, eis que dois varões vestidos de branco se puseram ao lado deles (At 1.10)

Por sua vez a mulher que fugiu para o deserto é Israel. Não vou explicar neste texto porque esta mulher teve de fugir, qual a conexão desta fuga com a assinatura do acordo maligno entre o Anticristo e Israel, pois a explicação demandaria um texto do porte deste.

Como já temos todas as datas, menos a data do arrebatamento da igreja, já podemos preencher a equação matemática. Esta equação: dia.arrebatamento da igreja + dia.grande tribulação + dia.septuagésima semana de Daniel + dia.batalha de Armagedon = Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo fica assim preenchida, levando em conta que o cálculo é feito em dias baseado no calendário lunar:

dia.arrebatamento da igreja + (1)dia.grande tribulação*(1260) + (1)dia.septuagésima semana de Daniel*(1260 + 1260) + (1)dia.batalha de Armagedon*(75) = Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo. Assim

dia.arretamento da igreja + 1260 dias da grande tribulação + 1260 dias da primeira metade da septuagésima semana de Daniel + 1260 dias da segunda metade da septuagésima semana de Daniel + 75 dias de duração da batalha de Armagedon = Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo. Portanto

dia.arretamento da igreja + 1260 dias da grande tribulação + 2520 dias do dia do Senhor + 75 dias da batalha de Armagedon = Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo.. Isto convertido em meses, tem-se

dia.arrebatamento da igreja + 42 meses da grande tribulação + 84 meses do dia do Senhor + (2 meses + 5 dias) da batalha de Armagedon = Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo.. Convertendo em anos tem-se:

dia.arrebatamento da igreja + 3,5 anos + 7 anos + (2 meses e 5) dias = Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo. Resumindo, o tempo entre o dia.arrebatamento da igreja até a volta física e vitória cabal de Jesus Cristo e seus exércitos em Armagedon é de

dia. arrebatamento da igreja + 10,5 anos + 2 meses + 5 dias = Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo.

Agora, se soubermos o dia do arrebatamento da igreja, basta somar (10,5 anos + 2 meses + 5 dias) saberemos quando iniciar-se-á o milênio, que é o evento seguinte após a batalha de Armagedon. Vamos ler então para quando foi marcado a data do arrebatamento da igreja:

Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem. Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. (I Ts 4.13-17)

Se lermos com atenção haveremos de saber para que dia foi marcado o arrebatamento da igreja. Note que Paulo está escrevendo aos Tessalonicenses. Ele diz que no dia do arrebatamento da igreja haverá dois grupos de crentes – os que dormem no Senhor e os que estiverem vivos. Em seguida ele declara que os mortos em Cristo haverão de ressuscitar primeiro, depois os que estiverem vivos serão arrebatados. Agora que estamos consciente da sequência dos fatos, quero chamar sua atenção para o modo como Paulo fez menção ao arrebatamento. Leiamos: “depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor” (I Ts 4.17).

Observe que Paulo se incluiu entre os que haveriam de ser arrebatados. Creio que você deve estar se perguntando: – Se Paulo se incluiu entre os que serão arrebatados e ele não foi, Paulo errou terrivelmente em marcar a data do arrebatamento. Eu, porém, lhe digo: – Paulo não errou. Paulo tinha consciência que esta data era uma incógnita, por isso a fórmula matemática. Na visão de Paulo a fórmula para calcular a volta de Jesus é esta:

(X)dia.arrebatamento da igreja + (1)dia.grande tribulação*(1260) + (1)dia.septuagésima semana de Daniel*(1260 + 1260) + (1)dia.batalha de Armagedon*(75) = (Z)Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo.

Note bem como a equação foi formulada e, aqui, chamo especial atenção duas incógnitas da equação: “(X)dia.arrebatamento da igreja” e “(Z)Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo”. Na matemática “X“ é uma incógnita. Se temos nesta equação duas incógnita, quais sejam: “(X)dia.arrebatamento da igreja” e “(Z)Volta visível e vitória cabal de Jesus Cristo”, a equação fica impossível de ser calculada, a não ser que uma das datas sejam dadas. Quanto esta data estas incógnitas, Jesus mesmo fez a seguinte declaração:

Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão. Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão o Pai. Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem. Então, dois estarão no campo, um será tomado, e deixado o outro; duas estarão trabalhando num moinho, uma será tomada, e deixada a outra. Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. (Mt 24.35-42)

Jesus mesmo disse que acerca desta data, “a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão o Pai”. Portanto é impossível saber quando estes eventos hão de ocorrer. Creio que você deve querer, ainda assim, saber, em minha opinião, quando é que se dará o arrebatamento, pois se soubermos quando será esta data, saberemos calcular todo o resto. Vou lhe dizer então quando acontecerá o arrebatamento.

Lembra que Paulo se incluiu ao declarar o dia do arrebatamento? Ele disse, nós, os vivos, e continuou escrevendo. Portanto para Paulo o arrebatamento haveria de acontecer entre aquele dia em que ele escreveu a carta aos Tessalonicenses até um pouco antes de sua morte. Oras, Se Paulo disse que o arrebatamento aconteceria em algum dia do primeiro século da igreja e o arrebatamento não aconteceu até o dia de hoje, então para mim, a data do arrebatamento é óbvia. Assim, se você me perguntar qual é o dia do arrebatamento, eu lhe respondo: – o dia do arrebatamento da igreja foi marcado para ontem. Se não foi ontem, pode ser hoje, se não for hoje, pode ser amanha, pois este dia é eminente, poderá acontecer a qualquer instante. De novo, se já era previsto para acontecer no primeiro século e não ocorreu, então tenho necessariamente entender que o arrebatamento foi marcado para ontem. Então só existe um jeito de terminar este texto. Leia por você mesmo:

Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente, venho sem demora. Amém! Vem, Senhor Jesus! (Ap 22.20)

Comente esta mensagem. Seus comentários me ajudam a decidir sobre o que deva continuar escrevendo. Compartilhe este texto com seus amigos e amigas. Vejo você no próximo texto.