A volta de Jesus Cristo

Seja precavido, conserve a sã doutrina atento à volta do Senhor

“Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e, enviando-as pelo seu anjo, as notificou a seu servo João; o qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, de tudo quanto viu.” (Ap 1:1,2)

A revelação do Apocalipse foi dada por Jesus Cristo ao Seu servo João com um propósito: mostrar o que Deus vai fazer porque o Senhor não faz coisa alguma sem antes revelar aos Seus servos, os profetas (Am 3:7). Deus revela para resguardar Sua soberania conforme está escrito:

“Vós sois as minhas testemunhas, do Senhor, e o meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais e entendais que eu sou o mesmo; antes de mim Deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.” (Is 43:10)

Deus revela também para que o Seu povo saiba discernir o mover de Deus em circunstâncias que possam parecer contraditórias como a que vivenciou Habacuque. O profeta discerniu um tempo carregado de opressão e injustiça, principalmente porque o próprio sistema de justiça estava corrompido, sendo tendencioso ao ímpio, pervetendo o direito (Ha 1:3,4). Hacacuque se indignou por ser incapaz de aceitar a prevalência do ímpio sobre o justo, situação similar aos últimos dias, tempo este que o apóstolo Paulo retratou os homens como amantes de si mesmos, inimigos do bem, mais amigos dos deleites que de Deus (I Tm 3:3,4). Tendo questionado a Deus, Hacacuque ouviu o Senhor lhe falar que a obra que Deus estava realizando iria impressionar os fieis da terra ao ponto de terem dificuldade de crerem ser aquelas circunstâncias produto do mover de Deus sobre a terra (Ha 1:5). O que Deus estaria a fazer? Basicamente o Senhor declarou que faria o povo caldeu marchar contra Israel com ímpeto e violência (Ha 1:6,9). A resposta surpreendeu Hacacuque porque ele próprio jamais poderia conceber que o mal viesse da parte de Deus contra o próprio povo de Deus. Sua primeira reação, diante de sua estupefação, foi dizer:

“Tu que és tão puro de olhos que não podes ver o mal, e que não podes contemplar a perversidade, por que olhas pára os que procedem aleivosamente, e te calas enquanto o ímpio devora aquele que e mais justo do que ele.” (Ha 1:13)

Situação similar vivencia a moderna igreja cristã. Esta igreja está tão convicta que as portas do inferno não prevalecerão contra ela que se ufana num falso triunfalismo, despercebida sobre o real mover de Deus nestes últimos dias. Para a moderna igreja cristã a premissa fundamental é que o mal jamais poderá prevalecer, não levando em conta a revelação de Deus dada ao Seu povo para os dias extraordinários que serão os últimos dias. O Senho já dissera a Jeremias acerca da panela a ferver: “Do norte se estenderá o mal sobre todos os habitantes da terra” (Jr 1:14), de modo que é bom colocar as barbas de molho. De quais acontecimentos, portanto, estava Jesus revelando que Seu Pai traria sobre a face da terra?

Os eventos registrados no Apocalipse irão acontecer porque serão conduzidos por Deus. Estes eventos foram notificados ao Servo do Senhor para conhecimento do povo de Deus, sendo feliz todo aquele que der ouvido e guardar as palavras das profecias do Apocalipse. Na essência, este é o teor das palavras iniciais da revelação de Jesus Cristo. Em cada uma das cartas o Senhor advertiu Seu povo para permanecer fiel. À igreja de Éfeso fora incisivo: “Lembra-te, pois, donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; e se não, brevemente virei a ti, e removerei do seu lugar o teu candeeiro, se não te arrependeres” (Ap 2:5). À igreja de Laodicéia fora categórico: “aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te.” (Ap 3:18). Nos mesmos termo o apóstolo Paulo já advertira: “Considera pois a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; para contigo, a bondade de Deus, se permaneceres nessa bondade; do contrário também tu serás cortado.” (Rm 11:22). Por que esta nota destoante em repreensão a igreja do Senhor? Paulo revelou que a vinda do anticristo seria precedido da apostasia de grande parte da igreja dos últimos dias conforme está escrito:

“Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição” (II Ts 2:3)

Pelo que se depreende da palavra do apóstolo Paulo a apostasia irá preceder a revelação do homem do pecado, isto é, do anticristo. Paulo já avisara a igreja por meio de Timóteo profetizando:

“Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria consciência cauterizada” (I Tm 4:1,2)

Paulo retratou estes homens à igreja de Éfeso nos seguintes termos:

“Cuidai pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele adquiriu com seu próprio sangue. Eu sei que depois da minha partida entrarão no meio de vós lobos cruéis que não pouparão rebanho, e que dentre vós mesmos se levantarão homens, falando coisas perversas para atrair os discípulos após si. Portanto vigiai, lembrando-vos de que por três anos não cessei noite e dia de admoestar com lágrimas a cada um de vós.” (At 20:28-31)

Ainda que a igreja tenha sido insistentemente advertida, chegará um ponto em que a moderna mentalidade cristã fará vistas grossas sobre a verdadeira doutrina. Este será o tempo em que não mais haverá amor da verdade para serem salvos, quando então o Senhor permitirá que a mentira prospere no meio da moderna igreja cristã (II Ts 2:10,11). Por consequencia o Senhor irá removendo lentamente o fator restritivo que impedia o anticristo se manifestar, permitindo que o mundo se prepare para a entronização do homem do pecado, inclusive com apoio velado de grande parte da moderna igreja cristã. Um dos grandes critérios para forjar esta mentalidade está naquilo que se alcunhou “politicamente correto”. Todo e qualquer servo do Senhor que se aventurar a criticar o posicionamento doutrinário de determinados grupos cristãos imediatamente é calado por afrontar a pretensa “unidade cristã”. Todavia a estes o apóstolo Paulo deu a seguinte palavra de conforto:

“Assim, pois, irmãos, estai firmes e conservai as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa. E o próprio Senhor nosso, Jesus Cristo, e Deus nosso Pai que nos amou e pela graça nos deu uma eterna consolação e boa esperança, console os vossos corações e os confirme em toda boa obra e palavra.” (II Ts 2:15-17)

pensador

    http://cezarazevedo.com.br/plano-de-salvacao-por-pergunta/

    http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-novo-convertido-0110/

    http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-batismo-0110/

    http://cezarazevedo.com.br/ministracao-para-libertacao-interior-e-perdao/

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

Leave a Comment