Diálogos

Somos como pedras talhadas na Nova Jerusalém

Cezar: Leia isso:

E disse-lhes: Desejei muito comer convosco esta Páscoa, antes que padeça, porque vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no Reino de Deus. (Lc 22.15,16)

Cezar: Note o que Jesus disse, ele não vai comer mais da páscoa até estarmos com ele, ou seja, Ele vai fazer um jejum que já dura 2.012 anos. Creio que toda vez que chove, a chuva só tem um objetivo, disfarçar o roncar do estomago de Jesus. Rsrs.

Janina: Rsrs. Muito bom!

Cezar: O fato é que Sua disposição de jejuar nos mostra o quanto ele se importa conosco. Veja isso:

Quando já era dia, alguns dos judeus fizeram uma conspiração e juraram dizendo que não comeriam nem beberiam enquanto não matassem a Paulo. (At 23.12)

Cezar: Estes judeus, infelizmente, devem ter morrido de fome, pois Paulo foi livre das mãos deles pela ação do governador. Este evento nos demonstra que alguém só fica tanto tempo sem comer se tiver realmente um grande objetivo em mente, meta esta que é muito maior que a indisposição causada pela fome. E se o Senhor Jesus colocou a situação deste modo: “Eu não consigo comer em casa com meu Pai sabendo que vocês não estão à mesa comigo, já perdi a fome antes mesmo de chegar lá”, é porque tinha em mente algo grandioso para cada um de nós. Só precisamos descobrir qual era Sua santa intenção. Creio que Ele manifestou Seu objetivo ao dizer:

Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também. (Jo 14.1-3)

Cezar: Jesus está intencionalmente ocupado no céu, não só nos esperando, mas trabalhando para nos preparar morada, só que a gente tem uma falsa noção de como será nossa morada no céu. Eu lhe pergunto: como você espera ser sua morada no céu? Descreve ela

Janina: Penso que vai ser uma imensa mansão com muitos quartos.

Cezar: Verdade! Você não está sozinha nesta concepção, é o que a maioria dos cristãos pensam do céu. Me diz, você tem um espelho de corpo inteiro na sua casa?

Janina: sim

Cezar: Pode ir até ele, olhar para ele e voltar?

Janina: Olhei.

Cezar: Ok, leia isso:

E eu, João, vi a Santa Cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. (Ap 21.2)

Cezar: Eis sua casa. Como ela se chama?

Janina: Noiva? Não, Nova Jerusalém.

Cezar: Isso, Nova Jerusalém. Agora leia isso:

E as doze portas eram doze pérolas: cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade, de ouro puro, como vidro transparente. (Ap 21.21)

Cezar: Do que são feitas as portas?

Janina: De perolas.

Cezar: Isso. Agora leia:

E as doze portas eram doze pérolas: cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade, de ouro puro, como vidro transparente. (Ap 21.21)

Cezar: Do que é feito a praça da cidade?

Janina: De ouro puro como vidro.

Cezar: Correto. Ficamos só com estes materiais, de todos os outros que são nominados, pérola e ouro. Digamos que esta praça de ouro seja feita por blocos de ouros e digamos que, para a praça ficar completa, seja preciso de 3.000.000 de blocos de ouro. Estamos fazendo apenas uma suposição para entendermos o raciocínio, ok?

Janina: Sim, E agora?

Cezar: Como é o nome da cidade?

Janina: Nova Jerusalém.’

Cezar: Correto, reintero a pergunta para firmar a convicção da resposta. Leia agora:

E eu, João, vi a Santa Cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles e será o seu Deus. (Ap 21.2,3)

Cezar: E o que a Nova Jerusalém será?

Janina: Um tabernáculo.

Cezar: Sim, tabernáculo de Deus com os homens. Agora, se lembra dos dois materiais que compõem a cidade? Quais são?

Janina: Perolas e ouro.

Cezar: Correto, mantenha os materiais na memória. Leia e diga, o que João vai ver?

E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro. (Ap 21.9)

Janina: A noiva, a Igreja.

Cezar: Tem certeza que é isso que está escrito? Leia bem e firme sua resposta.

Janina: A esposa do Cordeiro

Cezar: Isso mesmo. Vamos ver então a noiva do Cordeiro, lembre-se, foi dito pelo anjo que é isso que será mostrado, a noiva do Cordeiro e agora estamos na expectativa de vê-la.

Janina: Sim.

Cezar: Não muda sua resposta, você vai ver exatamente o que será mostrado, a noiva do Cordeiro. Leia agora:

E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro. E levou-me em espírito a um grande e alto monte e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu. (Ap 21.9,10)

Cezar: O que João viu?

Janina: Uma santa cidade.

Cezar: Qual o nome dela?

Janina: Santa Jerusalém.

Cezar: Não era para ele ver a noiva do Cordeiro? Como ele viu então uma cidade?

Janina: Não sei, não seria porque a igreja é a morada do Senhor?

Cezar: De fato você está correta, a igreja é a morada do Senhor, a noiva é a própria cidade. Lembra dos dois materiais que está nela? Quais eram?

Janina: Perolas e ouro.

Cezar: Correto. Leia isso:

Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles. (Hb 7.25)

Cezar: Jesus está desde a ressurreição até hoje intercedendo por nós. Lembra por que ele está intercedendo? O que ele foi fazer no céu?

Janina: Preparar moradas.

Cezar: Correto. Vamos ler novamente:

Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também. (Jo 14.2,3)

Cezar: Ele está intercedendo para nos preparar moradas. Lembra que hipoteticamente citei de quantos blocos de ouro Ele precisa?

Janina: Sim, 3 milhões de blocos.

Cezar: Lembra que as portas são de pérolas, quantas pérolas ele precisa?

Janina: 12 pérolas.

Cezar: Você sabe como são os blocos ou pedras no céu? De que material elas são feitos?

Janina: Ouro, pérola?

Cezar: Você lembra para que serve a Nova Jerusalém?

Janina: Para ser morada ou tabernáculo entre a Deus e o homem.

Cezar: Isso. Veja como são feitas as pedras para a cidade:

vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. (I Pd 2.5)
no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor, no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito. (Ef 2.21,22)

Cezar: Do que são feito as pedras?

Janina: De santos homens e mulheres de Deus.

Cezar: Corretíssimo. Agora, quais são os dois tipos de materiais que ele precisa? Só estamos vendo os dois, sabemos que tem mais.

Janina: Pérola e ouro.

Cezar: Correto. Leia isso;

Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, (I Co 3.11,12)

Cezar: Observe a lista de materiais. Você encontra nela algum material necessário para Nova Jerusalém? Que tipo de material é possível nós produzirmos que será usado no céu?

Janina: Na lista encontro ouro.

Cezar: E, hipoteticamente, quantos blocos Jesus precisa para construir a praça de ouro?

Janina: 3 milhões de blocos.

Cezar: E o que Jesus está fazendo no céu?

Janina: Trabalhando, intercedendo.

Cezar: Jesus intercede para conseguir o que? Levando em conta nossa hipótese, no quesito ouro, qual a meta a ser alcançada?

Janina: A produção de 3 milhões de blocos de ouro ou pessoas cuja obra seja ouro.

Cezar: Isso, correto. Jesus precisa conseguir em Sua intercessão 3 milhões de servos cuja obra na terra seja equivalente a ouro puro, ou seja, cujas obras sejam todas elas produzidas cem por cento pelo Espírito Santo. Para alcançar este alvo Ele intercede. Leia:

Outrossim, o Reino dos céus é semelhante ao homem negociante que busca boas pérolas; e, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha e comprou-a. (Mt 13.45,46)

Cezar: Se perola aponta para evangelistas e como na Nova Jerusalém haverá 12 portas feitas de pérolas, então o Senhor precisa interceder por tantos evangelistas quanto sejam o número de pessoas necessárias para ocupar o espaço de cada porta, formando, para quem vê de longe, veja todos eles junto como uma porta feita de pérolas. Ou seja, quando você olhou no espelho você viu o material de Deus, o bloco de Deus que falta para compor a cidade, Ele tem de moldar você até você ser o material que ele precisa, seja ouro, prata ou pedras preciosas.

Cezar: Você é uma das pedras da cidade, uma das pedras preciosas que vai compor a cidade. Você é o templo de Deus e somado com você, a soma de todos os crentes de todas as épocas vão compor o material que forma a Santa Cidade, a Nova Jerusalém. Esta cidade é formada como um grande templo feito por gente remida, cujo resplendor forma cada um dos desenhos ou dos objetos ou dos espaços desta grande cidade. Entendeu?

Janina: Sim.

Cezar: Creio que agora você percebe o significado do ministério de restauração. A restauração é um dos meios que Deus usa para lapidar o material que vai compor a cidade santa, a Nova Jerusalém.

Janina: Aleluia, que legal!

Cezar: Agora você entende porque Jesus está sem comer por 2.012 anos.

Janina: Sempre vi o ministério de restauração como santificador, mas nunca dessa forma.

Cezar: Verdade. Note, se um cristão não atingir o ponto necessário, haverá um buraco na Nova Jerusalém que não poderá ser recomposto, portanto Jesus não pode errar na intercessão que está a fazer. Ele é obrigado a conseguir exatamente a conta de material que precisa, por isso não existe cristão menor ou maior, cada um tem seu lugar nesta nova cidade. A cidade só vai existir quando 100% da noiva estiver lá, se a noiva sair em serviço, só fica Deus, a cidade desmonta e só monta de novo quando 100% da noiva estiver junto novamente adorando a Deus.

Cezar: Ver a Nova Jerusalém como ela realmente é muda completamente nossa visão e vemos o quão importante é a unidade do corpo de Cristo e quão importante é a intercessão do Senhor por nós.

Janina: Isso mesmo, muito obrigado pela lição. Vou interceder para que o Senhor possa trabalhar cada um destas pedras ou blocos que ainda faltam. Ainda bem que Ele não fica de mal humor com esse jejum de 2012 anos. A paz, obrigada.

Cezar: Paz.

pensador

 

    http://cezarazevedo.com.br/plano-de-salvacao-por-pergunta/

    http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-novo-convertido-0110/

    http://cezarazevedo.com.br/estudo-para-batismo-0110/

    http://cezarazevedo.com.br/ministracao-para-libertacao-interior-e-perdao/

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

Leave a Comment